quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Cadê a Letícia?!


Uma das promessas desse blog (que ainda pretendemos cumprir com mais dedicação) é "denunciar" lugares tidos como de primeira, mas que se mostram de segunda. E vice-versa: falar das boas qualidades de botecos e do lado B da vida, quando se revelam classe A. Pois aconteceu comigo, no último dia 20, dia da posse do Obama, uma infeliz experiência na padaria Letícia da rua Natingui. Quem mora em São Paulo bem deve conhecer essa rede de panificadoras com várias unidades na zona oeste--tem também uma na Heitor Penteado e outra na Cerro Corá, falando apenas das que eu já frequentei. Os pães, doces e lanches da Letícia são deliciosos, não se pode negar. Mas o atendimento, quanta diferença... Naquele dia, entrei e dei com um telão transmitindo a posse do Obama. Pensei, que bom, vou almoçar e acompanhar tudo por aqui. Mas, a partir do momento que entrei ali, eu virei a mulher invisível. Sentei numa mesinha, cinco minutos, a mesa molhada, nem cardápio nem paninho nem nada. Ok, o movimento era grande, levantei, fui até o balcão e pedi um cardápio. "Consegui" o de lanches com um atendente que mal me olhou. Mas o cardápio de almoço era outro, ele me disse que a garçonete levaria até a mesa. Passei mais dez minutos de invisibilidade na mesinha, me distraindo com o red carpet da posse do Obama. Pedi, então, o cardápio do vizinho. Decidi em pensamento por uma salada, e mais cinco minutos... "Posso fazer o pedido aqui no balcão?", perguntei ao mesmo moço que tinha me dado um dos cardápios. "Não, espere mais um pouco que a moça vai lá". Ah, vai. Ela finalmente me viu, mas foi anotar o pedido de outra mesa. Cansei. Levantei e fui! Acabei no McDonalds, contribuindo para a melhoria da crise dos EUA. Não sei se vocês já foram a Letícia e têm boas lembranças. Eu já frequentei as três unidades, e essa não foi a primeira vez em que saí P da vida. Sempre tenho dificuldade em pedir, e os atendentes são os mais mau-humorados do planeta (exceto uma, a Rose, que era da Letícia da Heitor, mas saiu de lá, vai ver porque sorria demais). Agora estou com trauma da Letícia. Aliás, quem é a Letícia? Cadê a Letícia?! Ela que abra o olho. De que adianta um pãozinho gostoso se o atendimento é de quinta?

ps: E você, já sofreu em algum lugar "de primeira"? Mande seu desabafo para a gente!

10 comentários:

Ella disse...

Já sim.
Na padaria nova charmosa na joaquim eugenio de lima, na cantina lazzarela na treze de maio.
aliás, este segundo restaurante acho que só tem nome viu!
várias vezes já fui lá e percebi que eles não sacodem as toalhas de um dia para o outro...meio nojento né? poxa!
afinal a gente tá pagando....
Beijos

*Lusinha* disse...

Com certeza, o atendimento é primordial para que eu considere o local merecedor do meu dindin.
Bjitos!

Telma Maciel disse...

Sou de Minas, grande BH e um dia tinha q fazer um exame num hospital. Saí muito em cima da hora e com um pouco de fome, mas não deu pra lanchar. Chegando perto do hospital, eu vi uma padaria muito arrumadinha e bonita em uma esquina e decidi q na volta lancharia lá. Fiquei mais ou menos 1:30hs no hospital e voltei cheia de fome! Pedi um misto quente (simples, não?) e sente na mesa. Esperei um pouco e a moça que começou a me atender transferiu a responsabilidade do meu lanche pra outra e foi lavar um tabuleiro. A que ficou responsável saiu e foi colocar os cestos de pão perto dos pães, depois foi limpar uma geladeira. E eu esperando.... uns 20 minutos depois, fui perguntar e ela falou que dali a pouco ficaria pronto. Mais uns 20 minutos esperando e nada... nem notícia...
Saí da padaria sem falar nada e fui a uma lojinha de empadas bem pertinho, onde comi duas empadas e descobri que muita gente fazia o q eu fiz. Terminei de lanchar, voltei lá e perguntei se o misto tava pronto, ao que a atendente disse, toda desdenhosa "Ué, vc saiu sem falar nada" E aí eu soltei os cachorros nela!
Lavei a alma! E não aceito um atendimento ruim mais!

Gis disse...

A Letícia é de última, mas essa foto é tudo, hein? Adorei! Não tô lembrando de nenhum lugar agora, mas que já vivi isso eu já vivi. E não foi só em restaurante. Loja fresca metida a chique tbm. Beijos lusitanos!

Pâmela disse...

Pior que, normalmente, esses lugares com fama de primeira sempre tem atendimento de quinta.
Um saco, já que, pra manter o título, deveriam atender os clientes bem, não?
Eu não costumo voltar ao lugar se o atendimento foi ruim.
Beijo!

Anthony Wilson disse...

Preguiça de Leticia???? Tell me it's not so!!!

Valéria Martins disse...

RÔ, levei um grupo de amigos ao Hotel Santa Teresa, que acabou de reabrir todo reformado, para público classe AA e só esqueceram de treinar a equipe. Levamos na bricadeira, mas todos os vinhos do cardápio haviam acabado, perguntamos ao garçon o que era um molho verde servido sobre a carne ele disse "Molho madeira", e no fim a conta levou horas pra chegar.
Ufa!...

Rosane Queiroz disse...

Eu já imaginava que todo mundo tivesse, ao menos, uma historinha para contar

Ella: charme é o que essa padaria não tem. e não sacodir as toalhas é o fim!!!!

Lusinha: falou e disse!

Telma: não chega a ser trágico, então é cômico! mas a empada estava boa, né? (rs)

Gis, eu também me animei ainda mais a escrever, por conta da foto

Pâmela, eu tambem não volto, ou resisto muito!

Anthony, how are you?! Sorry, but is really, Leticia me deixou alone!...


Valéria, esse baixou de AA para DD depois dessa. Molho madeira verde é realmente inacreditável, será uma nova receita, que inclui, além da "madeira", as folhas da árvore (rs)?


besos, RO

ALOBONDER disse...

MMe Rosane:

Pois é,o mundo gira ,a Lusitana roda e que tal um fanzine(virtual?) para derrubar os alicerces da imprensa branca?
Boa sorte na sua nova caminhada!!

Rosane Queiroz disse...

Alô, Bonder!

sabe que não é uma má idéia?

por enquanto, o garotas segue, mas há mil planos pela frente
aguarde

besos, rosane