segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Aprendendo com a diva

Sempre fui meio jaca mole. Semana passada, depois de assistir ao tombo da Madonna em pleno palco, fiz uma espécie de retrospectiva das vezes em que vi o chão bem de pertinho. Lama! Por que a gente se sente tão de segunda quando cai? Nossa, como é constrangedor! Rola aquela saia justa, todo mundo olhando sem saber se primeiro morre de rir ou estende a mão para ajudar o ser espatifado... Eu confesso que depois de protagonizar cenas hilárias de quedas inexplicáveis, desenvolvi a técnica do “socorro que o negócio foi sério, acho que quebrei o pé”, ou algo parecido. Porque isso pelo menos desperta algum tipo de solidariedade nos expectadores... Mas a verdade é que nem sempre adianta – sem contar que pode gerar falta de credibilidade futura numa queda mais séria. Nunca me esqueço da vez em que caí literalmente de boca na frente de uma oficina mecânica, depois de tentar alcançar o busão e tropeçar na minha própria saia. Foi tipo um ‘tibum’, sabe? Tanto é que os óculos de sol que eu estava usando racharam no meio... Mega vergonha! Depois, outra vez, me espatifei no meio do pátio da escola e fui motivo de chacota entre os amigos e não amigos por uma semana, ou mais. Ano passado tive a proeza de trincar um osso do pé no quintal da casa de uma amiga depois de encarar apenas alguns (!) copinhos de cerveja (mas eu estava sóbria, eu juro!). Resultado: um mês usando aquela botinha ortopédica suuuuper de quinta. Enfim, o fato é que depois de assistir ao vídeo da Madonna caindo de bunda e levantando como se nada tivesse acontecido, virei mais fã ainda dessa mega diva popstar. Porque cair faz parte da vida, e o negócio é fazer exatamente como ela fez: agir com naturalidade, sem perder a pose. Simplesmente levantar, sacodir a poeira e dar a volta por cima, sem choro nem vela. É ou num é?

13 comentários:

Claudia disse...

concordo totalmente !!
Na vida nos caimos e nos reerguemos inumeras vezes.Mas acredito que o mais importante a ser focado nao sao as quedas,mas sim as inumeras vezes e a capacidade da pessoa se erguer,sacudir a poeira e voltar a caminhar.
As quedas fazem parte da vida...Com elas nos crescemos e nos conscientizamos do valor de cada acontecimento das nossas vidas.

Certa vez,ainda na adolescencia (nascendo os peitinhos,andando toda meio-mulher rs),estava eu andando toda-toda,ao passar em frente ao colegio,reparei que os garotos todos comecaram a me encarar e tal naquele clima de paquera..
Dae que empinei os peitinhos e o bumbumzinho (tipica pombinha sabe...rs) e passei rebolando...Adivinha? Exato ! torci o tornozelo com tudo e caih...Ainda escutando todos euforicos rindo e gritando,levantei como se nao tivesse acontecido nada,arrumei os cabelos que a essa altura estavam cobrindo minha face,arrumei a saia me certificando que nada estava aparecendo por demasia e sai dali com tudo mais empinado ainda do que antes...

Hm? Que? Tropeço ? eu ? onde? quando?

rs

bjinhos,
adoro seu jeito de escrever !
adoro seu blog !!!

Loira e Morena disse...

Oi Palomaa...
Ai nem me fale em cair!!!
Eu tenho o DOM de tropeçar!!...vivo cheia de roxos...ahaha...
Nao esqueço uma vez, ainda bem q ja faz um tempão, eu fui atravessar a Av.Paulista e Puft!..cai no meio da faixa de pedreste, torci o pé..menina eu parecia uma lagartixa la esparramada...que vergooonha!!!..rs
Ultimamente se acontece algum imprevisto desse tipo, eu dou risada, me arrumo e continuo comos e nada tivesse ocorrido..ahaah

Muito bom o Blog de vcs!!..estava xeretando por aqui..rsrs

Beijocas da Loira

Ita Andrade disse...

Caí de bicicleta na avenida principal de Paraty. vinha do supermercado e a carga do cestinho rolou pelo meio da rua, abacates, laranjas, paezinhos, carteira, celular, chaves, oculos, bananas, tudo. foi lindo porque tive que parar o transito, para garantir que nehum carro esmagasse as minhas bananas. um motorista desceu pra ajudar e foi aplaudido. fiquei contente por ter proporcionado essa diversão aos que tiveram a sorte de estar no lugar certo, na hora certa mas os meus joelhos...
Beijosssssssssssssssss

Loira e Morena disse...

Meninasss, adoro o blog de vcs, sempre dou uma passadinha aqui e me divirto.
Tbm adorooo a Madonna, ela é uma diva mesmo né!?!?! Só estou um pouco tristinha pq nao vou no show... buaáááa!!...hehehe

Linkei vcs lá no blog!!
Beijaooo da Morena!

MELISSA S disse...

Vc me lembrou da vez bizarra em q, adolescente, levei uma bolada na cabeça (a quadra era no mesmo lugar q o recreio) e fiquei com tanta vergonha que fingi um desmaio. A vergonha foi pior q a de um tombo e em suma eu causei rs Todo mundo ao meu redor, uns rindo e outros preocupados. Naquela vez eu me levantei triunfalmente apesar da atitude de quinta rs Hj em dia varia... Mas a gente sempre se levanta, né? Por maior que o tombo ou mais forte a bolada seja. Beijos

Carolina disse...

Hu a Hua hua... me lembrei de várias que já aprontei com este meu jeito estabanado de ser que hoje está bem mais suave.
bjos

Paloma Lopes disse...

*claudia, claudia, como te disse ontem, no seu blog, fiz um filminho na cabeça com essa sua historinha! muito cuti-cuti!

*loira, caiu no meio da paulista? ai, céus! como sou bem pé frouxo, juro que se estivesse dirigindo naquele momento, ia parar tudo pra te ajudar (como a ita contou aí embaixo). me solidarizo suuuper! e tb vivo cheia de roxos pelo corpo, tanto é que até entrei na comunidade "hematomas de origem desconhecida" no orkut. hahaha

*ita querida, eu achei o mááááximo essa sua história. laranjas e tomates rolando, o cara descendo pra ajudar, o povo aplaudindo... mas que cidadão de primeira, hein? esse sim é um homem com H maiúsculo!

*morena, que ótimo que gostou do garotas! volte sempre! ao que tudo indica, vou ao show da diva (uhú!), então aguarde que prometo preparar um post beeem de primeira!

*melissa, é isso mesmo: a gente sempre levanta, por maior o tombo ou mais forte a bolada. frase genial, adorei!

*ih carol, no quesito estabanada, tb sou de primeira...

beijos a todas!

*CaRoL* disse...

Oiiiii
Eu sei, eu sei! Vocês são super ocupadas, né?
Mas... euq euria tanto uma ajudinha... é que estou começando um blog, aí chamei minha irmã para participar comigo, mas não consigo deixar as duas fotos na página inicial... assim como a de vcs...
Se for possível uma ajudazinha eu agradeço! hehe
Beijos.

Carrie disse...

palomaaaa

eu já caí no barro, já caí da escada, já sentei no ovo estalado no banco..enfim vários micos! vários tombos! e sempre tive ódio mortal de quem ria de mim naqueles momentos! Depois aprendi a justamente levantar e dar risada junto, porque a técnica do "socorro quebrei o pé" realmente não dura pra sempre!
e por muito odiar que as pessoas dessem risada de mim, por muito tempo não conseguia achar graça ao ver os outros caírem...até acontecer na sua frente...

ah gente..é engraçado vai? Hoje não me privo de rir não..(lógico que sem a pessoa ver, caso nao seja intima!) mas no caso da maddona acho que a reação seria mais como "óóóóó" (de boca aberta mesmo) e depois aplausos por ela ter levantado e sacudido a poeira tão lindamente!

Bjus

Carrie*

Biana França disse...

Nossa, adorei.Eu sou uma menina-tombo, e nesse quesito sou de primeira. Certa vez fiquei toda atolada na lama, uma cena...
Bjus.

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Paloma,
Caímos a todo minuto...mal de diva???rs!
Beijocas

Gisele Moura disse...

Eu então sou a Diva Trupicão, da última vez caí na descida de uma ladeira com uma bicicleta da minha sogra na porta de um supermercado as tres da tarde em Viena.Esse é meu super Maguila o Gorila, e o pior ninguém olhou e meu namorado gritava de longe, levanta, levanta!
Adorei o blog! Vou indicar vocês no meu.

Juliana Veronese disse...

Nossa, Paloma, eu lembro desse seu tombo no pátio do colégio!!!!! Realmente, rendeu comentários por um looongo período. E, de tempos e tempos, sempre tinha um engraçadinho para levantar a bola :"nossa, vocês lembram do tombo da Paloma?!" (aliás, algumas vezes esse engraçadinho era minha querida irmã, hahahaha). Mas o importante é isso aí mesmo, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Eu, que já levei e continuo levando vários tombos pela vida, acho que é o único jeito de se sair dessas com classe...
Parabéns pelo blog, textos deliciosos de ler!
Bjs
Ju Veronese