terça-feira, 13 de maio de 2008

Conceiçããããão!



Só numa segunda-feira, em São Paulo, para você ir ao lançamento de um filme pornô e acabar vendo um show do Cauby Peixoto. Aconteceu ontem comigo, no bar Brahma. Fui fazer um contato com o pessoal da produtora pornô Brasileirinhas (não, eu não vou entrar para o ramo. Era para uma reportagem, tá?) que estava lançando o filme "Pecados e Tentações", com a atriz-ex-certinha-ex-global Leila Lopes. Bom, o lugar estava bem bas fond. Basicamente homens interessados no telão que exibiria algumas cenas do filme, que aliás é de época. Mesmo acompanhada do maridón, não me animei a ficar. E no salão principal estava para rolar o show do Cauby Peixoto, que se apresenta toda segunda no clássico bar da av. São João. Já que estava ali, não ia perder o Cauby! Fiz meu contato com as porno girls e me joguei no salão lotado! Consegui, graças a uma recepcionista simpática chamada Eliane, uma mesinha atrás da coluna. E lá vem ele, peruca ruiva, camisa furtacor, broche de strass no colarinho, caminhando pelo salão, entre seguranças, cantando "Cry me a River". Depois, sentado numa poltrona, ele canta os clássicos todos -de "Conceição" a "Camarim" (aquela que diz: "Chorei, Chorei, até ficar com dó de mim...") --e o público vai ao delírio. Para completar a noite, ainda dividimos a mesa com minha amiga mais famosa, a Isolda, autora de grandes sucessos do Rei. Ao saber que Isolda estava na platéia, Cauby mandou um beijo e tentou cantar: "Você foi, o maior dos meus casos...", mas disse que não se lembrava da letra. Como não se lembrou de outras, mas tudo bem, para alguém que lê sem óculos e canta daquele tanto com mais de 80. Eu já me prometi levar minha mãe para assistir numa outra noite. Programa divertidíssimo para uma segunda-feira que não prometia nada. O melhor foi vê-lo cantar, a muitos pedidos, o "Bolero de Satã", gravado por Elis Regina, que eu não conhecia. Valeu a noite. Fala sério, essa minha segunda foi para voltar ao blog em grande estilo! Sintam só a letra do bolerão:

Bolero de Satã
Guinga/Paulo César Pinheiro

Você penetrou como o sol da manhã/E em nós começou uma festa pagã/Você libertou em você a infernal cortesã/E em mim despertou esse amor/Atormentado e mal de Satã/Você me deixou como o fim da manhã/E em mim começou essa angústia, esse afã/Você me plantou a paixão imortal e mal sã/Que me enraizou e será meu maldito final amanhã/E agora me aperta a aflição/De chorar louco e só de manhã/É a seta do arco da noite/Sangrando-me agora/São lágrimas, sangue, veneno/Correndo no meu coração/Formando-me dentro esse pântano de solidão

4 comentários:

Valéria Martins disse...

RÔ, a Record tem um livro do jornalista carioca Rodrigo Faour que é a biografia do Cauby. Eu não li, mas foi muito comentado e elogiado na época em que saiu.
E falando em Brasileirinha, vi outro dia umas fotos no livro do Terry Richardson, do Alexandre Frota com a Regininha Poltergeist em cena. Impressionantes!... Alías, esse livro todo é impressionante, escrevi sobre ele na Pausa do Tempo. É a cara do Rio de Janeiro...

ALOBONDER disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ALOBONDER disse...

Entre a genitália pornográfica da Leila Lopes e a maviosidade vesical do mitológico Cauby,surgiu como opção para os observadores da arte da 3'via a performace do Rogério Skylab nesta segunda de segunda no programa do Jô:-queridíssimo de todos entre todos os telespctadores brasileiros-.
Haja opção...!!

rosane queiroz disse...

Valéria

não sei nada sobre a vida do Cauby, mas deve ser uma vida e tanto... esse outro livro eu nao vi, vou xeretar la no seu blog

Caro Alobonder,

sem duvida, o Rogerio Skylab no Jo estava a altura do meu programinha de segunda

beijos, rosane