terça-feira, 18 de novembro de 2008

São Paulo e suas mil e uma possibilidades...


Pode parecer estapafúrdio, mas a verdade é que pra mim, liberdade demais oprime. Dou nó quando alguém pede, por exemplo, um texto sobre “qualquer coisa”. É como se as mil e uma possibilidades me impedissem de criar, de produzir, sabe? Preciso de foco para funcionar bem. Pra conseguir organizar as idéias, e depois escolher o que quer que seja. Talvez por isso eu goste tanto desses especiais “O melhor da cidade” que pipocam de tempos em tempos nas bancas de jornais, afinal estou em São Paulo há dois anos e ainda queimo minha cachola na hora de propor um restaurante ou bar bacana. Minha tendência é a de sempre ir aos mesmos lugares, mas ao mesmo tempo adoro conhecer espaços diferentes - só preciso de uma mãozinha pra explorar mais a vida gastronômica e noturna aqui da babilônia. Fora que sempre me esqueço dos lugares que me indicaram, ou que simplesmente despertaram minha curiosidade só pela fachada bonitinha. Bom, mas enfim, todo esse blábláblá é pra contar que na semana passada folheei o especial da Revista Época São Paulo sobre o melhor da capital e adorei várias das categorias criadas para a publicação. Não é de primeira saber os melhores PFs de São Paulo? Ou os melhores pastéis? Ou, ainda, as três melhores esquisitices boas de comer? Eu já decidi: vou sempre dar uma espiadinha nesta revista antes de sair de casa. E mais: vou intimar minha parceira, Rosane, pra comer testículos de galo no Aperitivos do Valadares, que fica na Lapa - uma das três esquisitices eleitas. Será que ela topa?

9 comentários:

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

vou te falar uma coisa que está me entristecendo muito.

Moro próximo ao aero de Congonhas e descobrir um mexicano por lá. Um mexicano sem cara de mexicano, na verdade parecia mais um local para lavagem de dinheiro. Porém, a cerveja era geladíssima e honesta (4,30 origina).. . a comida perfeita, os donos moraram no méxico por anos (média de 12,00 prato pra 2 pessoas)... então este bar era meu só meu e de mais ninguém, vez por outra eu levava alguém para jogar sinuca (a mesa ficava em um salão no 2o andar...e pasme, eles deixaram o armário embutido lá, só arracaram as portas). Mas, nada na vida dura para sempre, outro dia passei por lá e estão reformando o MEU bar. como assim eles vão transformar o MEU bar em um lugar bacana e moderninho com suas paredes vermelhas e seu clientes desfilando em saltos? acho que vou mover uma ação... quero meus direitos.

Anônimo disse...

Realmente, en la variedad está la diversión, mas, cómo arrancar de nuestra vida aquellas cosas que descansan el alma y, hay algo que reconforta más el alma que la quietud de los lugares repetidos y, por ende, memorizados. Un saludo desde España en esta noche insonne.

www.joseluisalvarezgago.es

vida cotidiana disse...

Eu não iria comer os tais testiculos não, porém te acompanharia se tivesse uma cervejinha gelada... ai rola, bjs

*CaRoL* disse...

Eu não iria!
hehe
Beijos.

Rosane Queiroz disse...

Palomita, essa eu não sei se encaro mas vamos lá, quem sabe um outro desafio do cardápio...

Cruela!
eu a-do-rei esse bar, e desde já tambem sou contra a reforma
sou viciada em comida mexicana, eu quero!

beijos

Regina Bui disse...

ahhhhh, Rosane.... você não vai nos decepcionar, vai?... Olha, juro que tem coisa pior do que testículo de galo...

Duuh!. disse...

Meeo. testiculo de galo?!?!

=O. too bege.

shauahaushsua.
amei.

beeijo

Helena disse...

gente, que delícia este cantinho de vocês!

voltarei!

beijos e boa SEXTA! ;]

Carolina disse...

Concordo contigo, liberdade demais me deixa um pouco sem chão, sem norte, sem direção. Por mais paradoxo que possa ser com a tal da desejada de liberdade de ser.

Muiot bom o post!

bjos queridos pra ti!